(71) 9 9936-0226

(71) 9 9138-2288

(71) 9 9138-2288

contato@sinalbahia.com.br

Acesso Credenciado

Notícias

Salvador mais educada, cai o número de multas por velocidade no trânsito.

De acordo com dados da TRANSALVADOR, no ano de 2019 houve, no geral, uma queda de 16% no número de infrações por excesso de velocidade em Salvador. Consideradas apenas autuações por velocidade acima de 20% do permitido na via, esse índice sobe para 21%.

Desde 2011 A cidade vem reduzindo o número de mortes no trânsito com uma série de ações de prevenção adotadas pela Prefeitura, que vão desde programas de educação nas escolas, obras viárias e culminando com fiscalização. Estas ações conseguiram em 2018 a redução de 55% nas mortes em relação a 2011, batendo com antecipação a meta de redução proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU) até 2020.

Para Antônio Meira, presidente da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego – Seção Bahia, “o comportamento dos motoristas mudou”. Nos últimos anos, com maior fiscalização e mais radares, aumentou a possibilidade de o motorista sofrer alguma penalidade e isto pode ser visto como a principal causa dessa mudança. “A punição é uma forma de educar, alterar o comportamento e reduzir o número de acidentes”, completa Meira.

Na Bahia, mais de 50% dos leitos hospitalares do SUS são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito, a maioria na faixa etária de 20 a 49 anos. Essas vítimas, costumam ser “poli traumatizadas”, muitos sofrem traumas em diferentes partes do corpo e não é raro que precisem de cirurgias de grande porte ou delicadas, com maior tempo de internação e Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Diminuindo esses casos, será possível disponibilizar esses leitos para outras doenças não tão preveníveis”, analisa o presidente da Abramet-BA.

O controle da velocidade é apontado por especialistas como uma das ações mais efetivas para reduzir a mortalidade, “não é flexibilizando leis de trânsito que vamos conseguir vencer essa batalha”, sustentam. O comportamento vem mudando, o motorista hoje tem mais cuidado ao volante, mas a velocidade ainda é um dos principais fatores de risco junto com alcoolemia e a utilização de celular. Precisamos virar esse jogo.