(71) 9 9936-0226

(71) 9 9138-2288

(71) 9 9138-2288

contato@sinalbahia.com.br

Acesso Credenciado

Notícias

O Brasil ainda bebe e dirige.

– Motorista atropela e mata duas adolescentes no Pernambués em Salvador (Correio da Bahia –.02/01/2020).

– Carro invade calçada e atinge pedestre no Centro de Petrópolis. Dentro do carro, os policiais encontraram garrafas de cerveja (G1 25/05/2019)

– Motorista atropela jovem, foge na contramão e mata motociclista em Ribeirão Preto. Bombeiros dizem que homem estava embriagado e agressivo. Testemunhas afirmaram à PM que carro estava a cerca de 100 km/h. (Bom Dia Cidade 08/01/2019

Onze anos após a implementação da Lei Seca, as pessoas continuam bebendo e conduzindo veículos no Brasil. Em uma pesquisa realizada pelo sistema de vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico (Vigitel), um dado chama a atenção e é preocupante: de 2011 a 2017, a frequência de adultos que admitem conduzir veículos motorizados após terem ingerido qualquer tipo de bebida alcoólica aumentou 16% em todo o país.

Os riscos quando um motorista bebe antes de dirigir, são altos. Um dos efeitos, por exemplo, é a lentidão nos reflexos. O álcool interfere no comportamento do indivíduo no trânsito e prejudica alguns aspectos importantes para uma condução segura, como atenção, coordenação motora e noção de espaço. Após beber, alguns motoristas se sentem mais confiantes, perdem o receio de se envolverem em um acidente e seguem desrespeitando limites de velocidade e regras de trânsito. Aí mora o perigo.

Desde abril de 2018 as imposições da Lei Seca ficaram mais rigorosas. O motorista que dirigir bêbado e causar acidente com vítima fatal pode ser preso, sem direito à fiança será enquadrado no crime de homicídio culposo e se condenado, cumprir pena de cinco a oito anos de reclusão. Não há quantidade mínima, o motorista que for flagrado com qualquer quantidade de álcool em seu organismo é penalizado.

Ao ser fiscalizado, o ato de recusa em se submeter ao teste do bafômetro também é considerada uma infração. De acordo com o Art. 165-A, o agente de trânsito pode basear a autuação na observação de sinais de alteração na capacidade psicomotora do infrator. A embriaguez também pode ser confirmada por meio de exames clínicos, ou outros procedimentos.

Dirigir alcoolizado é crime, pode acabar em prisão, multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por 12 meses de acordo com o Código de Trânsito, sem contar o risco de acidentes com vítimas.